Pai é coadjuvante…

Ser pai é ser coadjuvante. Atuante, mas coadjuvante. Se Deus é pai, então ele também é coadjuvante e como tal, não manda em nada. Ser pai coadjuvante é ter um papel secundário, um papel de suporte aos atores principais da família. Se você é pai com um papel principal, então é bom ter coragem para continuar lendo este artigo. Continuar lendo

Anúncios

Superando traumas

Ontem fui ao cinema. Saí logo depois do horário de trabalho, peguei a mulher no trabalho e me toquei pra o shopping. A ideia foi dela. Ela quis assistir ao filme do Super Homem (O Homem de Aço / Man of Steel  – 2013). Achei demais! Minha mulher querendo assistir esse tipo de filme de super herói salvando o mundo dos vilões. História batida. Pra ela. Não pra mim.

Quando começou o filme, eu logo entendi o motivo da escolha dela. O ator é lindo. Tchê, tudo bem que o Super Homem é um cara de presença… mas esse cara é de outro planeta.O cara é…. é… é…  deixa pra lá. Passei o filme todo vendo ela suspirar pelo Super Homem. E o filme ainda era em 3D. Dá me paciência! Continuar lendo

(Não) Venda a Sua Moto!

[Antes de 2008] Venda a sua moto. A moto é perigosa. Os motoristas não respeitam os motociclistas. As motos são caras… é um dinheiro investido para ficar, na maior parte do tempo, parado na sua garagem. Venda a sua moto, aplique o dinheiro e não corra mais riscos. Sua família agradece! Definitivamente, venda a sua moto!
Continuar lendo

Invasor! – Parte I

Porto Alegre, final de 2004… Invasor!

Cris… Cris… acorda! Ela sussurrava. Acorda, Cris! Tem gente na cozinha!

Simplesmente não conseguia entender. Como é que poderia haver alguém na cozinha do apartamento mais alto do prédio? Tudo bem, não era tão alto assim, afinal era um prédio de três andares.  Dormimos na sala, logo, ele não entrou pela sacada – pensei. Era o lugar mais provável para uma invasão, principalmente tratando-se do apartamento de um jovem vindo do interior e que sempre dormia com a sacada aberta. Felizmente ou não, naquela noite eu dormia justamente na entrada da sacada, acompanhado da minha mais nova namorada. Continuar lendo

Meu Deus, eu roubei!

Nunca foi tão fácil escutar as flautas dos Gremistas e Corinthianos… especialmente quando você se vê preso, acusado por roubar.

Quarta-feira, dia 1º de julho, 17h.  Tenho uma última reunião por teleconferência com SP e em seguida posso ir ao Gigante torcer pelo meu time. É a final da Copa do Brasil contra o Corinthians, mas o placar do primeiro jogo nos desfavorece. Durante toda essa semana foi uma chuva de problemas no trabalho e o final deste dia revelava que não iria ser diferente. São 17h30 e percebo que há outra teleconferência marcada para as 18h –  minha participação foi requisitada em substituição ao meu superior que não pôde – desta vez com os EUA e a previsão é de 1 hora.  Um pequeno susto para encerrar o expediente e um pouco mais ansioso pelo jogo. Continuar lendo

Congelando os joelhos…

Dois dias antes do feriado, por volta das 19h, estava percorrendo o trajeto trabalho-casa (de carro), quando recebi um SMS… era o cara da Harley 1600cc, dizendo: “_ E aí dos meu? Onde vamos no feriado?”  Não respondi. Estava pensando nos savings da empresa… mas não foi por isso exatamente por isso que não respondi. Só fiquei matutando onde iríamos no feriado… “Vejo isso amanhã” – pensei. E deixei o cara sem resposta. Continuar lendo